Uniban expulsa aluna que foi à aula de vestido curto.

sorry2

Hoje eu abri o C3 da Folha e me deparei com manchete acima (se você não esteve fora do planeta nas últimas duas semanas, deve saber do que se trata). Depois de todo o rebuliço causado, a Universidade decidiu expulsar a estudante Geisy Villa Nova Arruda, de 20 anos, alegando que houve “desrespeito à dignidade acadêmica e à moralidade” e ainda, que “foi constatado que a aluna provocou a situação, resultando na reação coletiva de defesa do ambiente escolar”, ou seja, é muito mais cômodo para a Universidade lavar as mãos e colocar a culpa na “vítima”.

Não defendo a postura da Geisy, ela errou no momento em que decidiu ir assistir às aulas com a mesma roupa que usaria para ir a uma balada, mas se a própria Universidade não estabelece normas em relação ao vestuário dos alunos, não há base para acusarem-na de ter quebrado uma norma da instituição, mas se existem normas relacionadas ao vestuário nas dependências da Universidade, então elas deviam ter sido colocadas em prática antes dela entrar na Universidade, o que não aconteceu.

Não se pode cair no erro de colocá-la num altar e chamá-la de santa, assim como também não se pode pregá-la numa cruz, fazendo com que pague por todos os erros da humanidade. Na minha opinião, ela foi apenas o bode expiatório de uma coisa bem maior, vítima de uma sociedade, hipócrita e (ainda) machista.

O que ocorre é uma troca de valores, as pessoas que apontam dizendo que a própria Geisy é culpada pelo que aconteceu, são as mesmas que culpam as vítimas de estupro pelo que lhes aconteceu.

O que revolta é a postura da Universidade, que vem sendo conivente com um ato de vandalismo dentro de suas dependências. Que tipo de valores estão sendo pregados num lugar assim? Que tipo de pessoas estão sendo formadas? E quanto à liberdade? O que vai acontecer com a próxima estudante que for de mini para aula, será apedrejada?

Ela não obteve proteção, que é direito de qualquer ser humano, foi agredida moralmente, humilhada em público e agora expulsa. Outras medidas poderiam ter sido tomadas como advertência e suspensão. E quanto aos alunos que (como selvagens) tentaram agredí-la? Bem, segundo a Universidade, cada caso será analisado, estes poderão ser suspensos. Agora eu me pergunto: quantas vezes não temos nossas casas invadidas em plena luz do dia por programas com mulheres seminuas? Quanto a isso não há revolta, então porque é tão incômodo o fato de uma universitária ir de vestido curto pra aula? Será que isso é tão ruim que chega a ser pior do que atentar contra a integridade física e moral de uma pessoa? A universidade se tornou algum tipo de sociedade secreta, que precise ser defendida?

E se ela fosse rica, filha de algum mega empresário, a história teria sido a mesma? Teria sido expulsa?

Reitero, não defendo e nem acuso a Geisy, ambas as partes erraram, mas pior é aquele que contra todas as evidências persiste no erro.

“A mesma sociedade moralista que grita a plenos pulmões: Viva à liberdade, é a mesma sociedade hipócrita que apedreja e condena a (tal) liberdade, para mim, Geisy é apenas mais uma Maria Madalena entre tantas outras”

Anúncios

Um comentário sobre “Uniban expulsa aluna que foi à aula de vestido curto.

  1. Pris, ótimo texto, vc ecreve muito bem!^^
    Concordo em genero, número e grau com vc! Isso é uma HIPOCRISIA sem fim, mas não só dos diretores da universidade, mas de toda uma sociedade!
    O que fizeram com essa moça é lamentável e pelo jeito voltará a se repetir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s