Mãe.

Mãe, difícil definir essa palavra, mas ela sempre me remete a amor, à segurança, sensibilidade, porém força. Apesar de não ser mãe, acredito que a maternidade seja a experiência mais incrível na vida de uma mulher. Já ouvi mulheres arrependidas de muitas coisas, mas até hoje não conheci  nenhuma mulher arrependida de ser mãe.

Existem vários tipos de mãe – apesar de insistirmos em dizer que mãe é tudo igual, só muda de endereço – há aquelas que escolheram ser mães, há aquelas que foram surpreendidas com uma gravidez indesejada não esperada, mas mães, são heroínas a partir do momento em que corajosamente assumem e decidem ser mães. Ser mãe é uma escolha. Minha mãe poderia me maltratar, me abandonar, mas eu ainda a amaria, porque escolheu me dar à luz.

Mãe, obrigada por suportar, por estar presente sempre que precisei, por ensinar a viver, por se doar, por se sacrificar, por abrir mão do seu corpo para me gerar, por me amar mesmo quando estou com raiva, por acreditar, por me perdoar pelos mesmos erros, por acreditar em mim quando eu mesma deixo de acreditar. Obrigada por ser minha mãe, eterna e única.

FELIZ DIA DAS MÃES.

Dia Difícil (?!)

Após uma semana cheia de acontecimentos, finalmente parei para ver com meus próprios olhos a dimensão dos estragos causados pelas chuvas no Rio de Janeiro. Eu que achava minha vida difícil, me descobri mesquinha diante de tanta desesperança e dor. Foi muito triste, porém, é impossível medir ou até mesmo imaginar o tamanho da dor de cada pessoa atingida por esta catástrofe. Lares destruídos, vidas perdidas, filhos sem pais, pais sem filhos. Acordar e estar dentro de um pesadelo (terrível), acordar e não ter mais aquele ente querido ou um teto sobre sua cabeça, isso para aqueles que tiveram a “sorte” de acordar… O desalento, a expressão vaga no rosto de milhares. Para muitos um lixão, para eles um lar.

Comecei a pensar que diversas vezes somos ingratos, estamos tão mergulhados em nossos problemas (todos têm), mas nunca me esqueço da frase que li certa vez:

“Quando eu ouço alguém suspirar, “A vida é dura”, eu sempre sou tentado a perguntar, “Comparado a que?”Como minhas dificuldades tornaram-se pequenas diante de tudo isso! Não quero que seja apenas por um momento, se possível, quero me recordar todos os dias, que existem pessoas no mundo todo, que sofrem mais do que eu, pessoas para quem a vida é REALMENTE cruel, que dariam “tudo” para que meus “problemas” fossem seus.

Só me resta agradecer a Deus por tudo que tenho e porque pensava conhecer o significado da palavra dor, e esta semana descobri que todos os momentos difíceis pelos quais passei não chegam nem perto do real significado do seu real significado.

A vida é uma dádiva!

“Eu que chorava por não ter sapatos, encontrei um homem que não tinha pés” (provérbio persa)

Carpe Diem…



Revolución.

Maior exemplo de que não precisamos de armas para lutar.

A Revolução está na mente não nas armas, a revolução começa na cabeça, não nos braços.

“O verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor.” (Ernesto Guevara)

“Não estatize meus sentimentos. Para o seu governo, o meu estado é independente.” (Renato Russo)

“I Have a dream” (Martin Luther King Jr.)

“Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada” (Clarice Lispector)

“Não se retém quase nada sem o auxílio das palavras, e as palavras quase nunca bastam para transmitir precisamente o que se sente.”

Todo homem precisa de um ideal.

“Hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás”, precisamos ser fortes, mas não insensíveis.

As vezes penso que essa tal de DEMOCRACIA deixou as pessoas burras, passivas e conformadas(demais).

Siempre se resisten.

Família com “S”

Bem disse aquele comercial da Sadia, não somos parte de uma única família e sim de várias. Somos parte da família de casa, da família do colégio, da faculdade, da família do trabalho, do bairro, da igreja, do clube, da academia, das aulas de música, até da família do ônibus (vejam só)! E também daquela família que só vemos através desta tela, mas que nos parece tão real…

Em todo lugar, há sempre uma família, isso porque, o homem não é uma ilha, cada um traz consigo “um gancho” que encaixa em outro e em outro e outro e quando vemos, voilá, acabamos de criar uma nova família.

Confesso que para mim não há melhor momento para uma família do que sentar-se ao redor da mesa para comer e conversar. Para isso, não há preço, seja degustando “um amendoim” ou uma ceia, são momentos marcantes.

Em casa, nunca cultivamos muito o hábito de comer à mesa, uma pena, porque isso afeta muitas famílias, parece bobo, mas para muitos é o único momento em que todos têm tempo de sentar, ouvir e compartilhar. Pais dão atenção a seus filhos, filhos podem dialogar com os pais. É algo tão fundamental e marcante na formação de uma criança, no fortalecimento dos laços de afeto, além disso,  cria-se o hábito de comer bem (é cientificamente comprovado, comer assistindo Tv engorda).

E lembre-se aquela bela mesa de jantar não é apenas para fazer um charme, é um objeto de uso, além do que, não há nada melhor do que uma sala de jantar aconchegante para comer e conversar em família, seja ela qual for: a família de casa, a família do colégio, da faculdade…