Uma mala. Um café. e… Uma bomba??!

A mala

A mala

Gente, deixa eu contar um ‘causo’ engraçado que aconteceu com a  minha tia. Tá, já faz um tempo, mas num sábado a noite não dá pra esperar muita coisa, né? hehe. Lá vai. ah, antes, vocês precisam saber que a minha tia é meio doidinha (mas é o máximo). Titia está sempre viajando para os EUA e foi numa dessas viagens que ela pagou esse KING KONG.

O café.

O café.

Lá estava ela no aeroporto, esperando seu vôo (gente, vôo ainda tem acento?) de Nova York pra São Paulo, com sua mala. Há certa altura, cansada de esperar, ela decidiu ir tomar um coffee em algum lugar do aeroporto, como não estava muito afim de ficar carregando a mala pra lá e pra cá, pensou: “vou deixar a mala aqui por uns minutinhos, enquanto vou comprar meu café” (ingêêênuaa). E lá foi ela, linda e contente. Foi, comprou seu cafézinho, mas quando estava voltando percebeu uma estranha movimentação no aeroporto, pessoas se afastando, na verdade, conforme ela andava o aeroporto ficava mais vazio, quando ela avistou o lugar onde tinha deixado a mala… POOF, o lugarzinho estava cercado daqueles policiais especializados em desarmar bombas, todos com armas em punho, apontadas para o alvo. Bomba?Onde?Alvo?Que alvo? Sim, a mala da minha tia era o alvo. Afinal de contas, por que diabos uma pessoas em sã consciência deixa uma mala abandonada num aeroporto, ainda mais nos EUA?? Pois é minha tia fez, ela conseguiu. Então ela foi se aproximando sutilmente, azul de vergonha e disse: Hey, that’s my suitcase! Vocês podem imaginar a situação constrangedora, né? Bem, pelo menos a história teve um final feliz. Ela foi levada pra uma salinha, ouviu um sermão, passou a maior vergonha da vida dela e se havia alguma chance dela adiar o vôo pra curtir um pouco mais de NY, não foi dessa vez. Ela voltou pra casa com sua linda malinha (depois de uma bela revista, também constrangedora) e sem café =/.

A bomba.

A bomba.